Procon diz: Gasolina pode ser encontrada a R$ 2,59 em Campina Grande

O litro da gasolina comum baixou de preço em 44 postos de combustíveis de Campina Grande, de acordo com a pesquisa realizada pelo Procon Municipal no último dia (23). A diminuição dos valores ocorreu após a ação de fiscalização realizada pelo Procon Municipal para autuar os postos que estavam praticando preços acima da pauta do governo.

O litro da gasolina está sendo vendido ao menor preço no posto Fechine da Rua Siqueira Campos – Centro, ao valor de R$ 2,59. O litro mais caro (R$ 2,69), é encontrado no Posto Paulistano (Av. Assis Chateaubriand) e Posto Maia (Rua da Independência).

A variação de preço é de 3,86% entre o valor mais baixo e o valor mais alto, com diferença de R$ 0,10 por litro para o pagamento a vista. Em alguns postos, a gasolina é mais cara se o pagamento for a prazo. Nestes casos, o litro da gasolina está variando entre R$ 2,66 a R$ 2,99.

Na pesquisa divulgada no dia (11) deste mês, o litro da gasolina comum para o pagamento à vista tinha variação de 11,58% e preços que variavam entre R$ 2,59 (menor preço) e R$ 2,89 (maior valor), sendo a diferença de preço entre o mais caro e o mais barato de R$ 0,30. Isso representa uma economia de até R$ 0,20 para o bolso do consumidor.

No preço do álcool a redução de preço foi em cinco postos. O combustível é vendido em Campina Grande com valores entre R$ R$ 2,13 a R$ 2,25 (à vista), apresentando variação de 5,63% e diferença de preço é de R$ 0,12. No preço a prazo, o consumidor poderá pagar valores que variam entre R$ 2,15 a R$ 2,29.

Os números mostram que abastecer com o álcool não é mais vantagem para o consumidor já que o combustível rende menos, e a diferença de preço entre a gasolina e o etanol é de apenas R$ 0,46.

Já o Diesel, é vendido ao menor valor de R$ 1,95, e o maior, R$ 2,14 tendo diferença de preço de R$ 0,19 por litro, e variação de 9,74% para pagamento a vista ou a prazo.

O Procon orienta aos consumidores a ficarem atentos e a verificar a bomba de combustíveis na hora do abastecimento, a quantidade de litros e o valor a ser pago deve ser observado para evitar que o consumidor seja lesado. A nota fiscal de compra também não deve ser esquecida, ela é a garantia na hora de registrar a reclamação no Procon.

O consumidor campinense pode ter acesso aos dados da pesquisa do Procon, realizada quinzenalmente em 46 postos de combustíveis de Campina Grande, através do endereço eletrônico www.proconcg.pb.gov.br. A pesquisa também está disponível na sede do órgão, localizada na Rua Afonso Campos, nº 304, Centro.

Autuação

O Procon Municipal encerrou do último dia (23), a fiscalização nos postos de combustíveis de Campina Grande iniciada em 17 de maio. Dos 46 postos fiscalizados, apenas dois (Posto Bandeirante e Posto Maia), se recusaram a baixar o preço da gasolina, sendo autuados pelo Procon pelo descumprimento do Termo de ajustamento de Conduta, que determina que os compromissados com o termo devem estabelecer preços tendo como valor máximo a pauta de combustíveis do governo federal.

Os postos autuados terão o prazo de dez dias para apresentar defesa ao Procon e estão sujeitos ao pagamento de multas, que de acordo com o Código de Defesa do Consumidor pode variar de R$ 200,00 até 3 milhões de reais.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo