Bolsa Estiagem não resolve seca no nordeste

bolsa estiagemNesta quarta-feira (15), o ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra reconheceu que o preparo do governo federal para enfrentar a seca no Nordeste mostrou “fragilidade”. A declaração foi dada durante a apresentação das medidas adotadas pela pasta para amenizar e tentar superar os efeitos da seca, considerada a pior dos últimos 50 anos. 

O deputado federal Assis Carvalho (PT-PI) concorda com o ministro e defende que o esforço federal vá além do “Bolsa Estiagem”. “São as obras estruturantes que possibilitarão a população do semiárido conviver e se desenvolver com seus desafios hídricos. A seca é um evento cíclico, ou seja, não nos pega de surpresa”, explica o deputado.

O parlamentar piauiense aposta na integração das bacias do São Francisco como a solução definitiva para a escassez de água no semiárido. Por isso, busca a inclusão do seu estado no projeto que já tem 43% de suas obras concluídas.

A integração das bacias do São Francisco prevê a oferta de água para os municípios do Agreste e do Sertão dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, mas negligencia a fronteira seca do Piauí.

Em 2011, a bancada deste estado apresentou emenda ao Plano Plurianual para que o projeto fosse ajustado para atender o ente federal mais pobre o Brasil, mas o Executivo vetou a proposição justificando a falta de estudos técnicos que respaldasse a viabilidade da proposta.

O deputado federal Assis Carvalho é o parlamentar que encabeça no Congresso Nacional a busca de recursos políticos e financeiros para que o projeto de integração das Bacias do São Francisco atenda também ao Piauí.

Um encontro informal do parlamentar piauiense com a presidenta Dilma Rousseff, no evento de inauguração de uma barragem no município de São Julião em janeiro deste ano, foi fundamental para que a necessidade do povo piauiense tomasse visibilidade na esfera nacional.

“Fui para o evento preparado. Na primeira oportunidade entreguei a ela toda documentação para que tomasse conhecimento da necessidade de expansão do projeto de Integração das Bacias do São Francisco. Além disso, ela viu com seus próprios olhos o Piauí. Logo em seguida, a Casa Civil encaminhou o pleito para o Ministério do Planejamento e da Integração”, conta Assis Carvalho, que comemora o início dos estudos de viabilidade das obras do canal da integração do sertão piauiense.

O sistema hidráulico visa à integração entra a Bacia do rio São Francisco e as bacias da Fronteira Seca do Estado do Piauí, transferindo água pela ligação de um conjunto de grandes açudes localizados na Fronteira Seca e ao alcance de Canais de Distribuição, resolvendo definitivamente o problema do déficit hídrico, garantindo água para beber, para consumo dos animais, agricultura e outros setores produtivos.

“O comprometimento do Ministro da Integração é um excelente sinal para o povo piauiense, mas é um início. A caminhada agora é rumo aos recursos financeiros. Com os estudos de viabilidade concluídos, eu tenho esperança de conseguir colocar o projeto no PAC e também mobilizar os colegas da bancada piauiense para direcionarmos nossa emenda ao Projeto de Lei Orçamentária para este fim”, afirma Assis.

 
Comments are closed.