Câmara de vereadores inicia campanha do Outubro Rosa contra o câncer de mama

Como tem acontecido nos últimos anos, desde o início da gestão da presidente Ivonete Ludgério (PSD), a Câmara Municipal de Campina Grande tem participado ativamente do movimento Outubro Rosa. A objetivo é promover debates e ações, durante o mês de outubro, visando a conscientização sobre a prevenção do câncer de mama.

Para marcar o início da campanha, o prédio da Casa de Félix Araújo recebeu uma nova iluminação na cor rosa, e assim vai permanecer durante todo o mês. O tradicional laço rosa, que é considerado o selo oficial da campanha, passou a decorar vários ambientes da Casa, inclusive o plenário. Os funcionários e parlamentares também já aderiram ao movimento com o uso de botons personalizados e camisetas, de forma a estimular a participação da população, empresas e entidades nessa luta.

Uma sessão especial está sendo programada para promover o debate e mobilizar a sociedade em torno do tema. A data ainda não foi definida, mas a sessão se constitui no ponto alto da participação do Poder Legislativo campinense no Outubro Rosa. Conta com a presença de entidades, ONG’s, ativistas da luta contra o câncer de mama, médicos especialistas e demais profissionais da área de saúde.

“Desde o ano de 2017 que a Câmara de Campina Grande se engajou definitivamente na campanha do Outubro Rosa. Entendemos que a conscientização da população feminina para a prevenção ainda é a maior arma de combate ao câncer de mama. Nesse sentido, nossa participação visa, principalmente, promover a conscientização”, destacou a presidente Ivonete Ludgério.

Segundo uma estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), até o final deste ano de 2019, serão diagnosticados 880 novos casos de câncer de mama no estado da Paraíba. Um estudo da Universidade Federal de Goiás em parceria com a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) mostrou que o sedentarismo, o cigarro e o consumo de bebidas alcoólicas são fatores que aumentam o risco de contrair o câncer de mama. Apenas 10% são causas hereditárias.

Dirp/CMCG

 
Comments are closed.