Curta Taquary homenageia ator paraibano Fernando Teixeira

O ator Fernando Teixeira será o homenageado do Curta Taquary, que começou nesta segunda-feira (22) e segue até o sábado (27), em Taquaritinga do Norte, no Agreste de Pernambuco. Também receberá homenagem os envolvidos no projeto Vídeo nas Aldeias (VNA). Nascido em Conceição, no sertão paraibano, ficou conhecido como “o homem do teatro”, com mais de 50 anos de palco e atuação também no cinema e televisão. Já o VNA existe desde 1986, com o objetivo de fortalecer a identidade, patrimônio territorial e cultural dos indígenas, por meio de recursos audiovisuais e da produção compartilhada.

Fernando Teixeira é também diretor e dramaturgo. Teve estreia no teatro no elenco do infantil Joãozinho Anda pra Trás. Teve passagem por São Paulo, quando entrou em contato com a estética revolucionária do Teatro Oficina. Após retornar ao Estado de origem, fundou o Grupo de Teatro Bigorna – com Carlos Aranha e Jurandir Moura. Viajou diversas cidades com o grupo, que fez um mapeamento do movimento teatral da Paraíba. Apresentou ainda o monólogo Esparrela, no qual dirigiu e encenou um texto autoral.

Entre as dezenas de espetáculos encenados por Teixeira, estão: “O Auto da Compadecida”, “Papa Rabo”, “Anayde, 15 anos depois” e “Fogo Morto”. No cinema, ganhou as telas de inúmeros festivais audiovisuais, com os filmes “Aquarius”; “Baixio das Bestas”; “O Nó do Diabo”; “O Lobisomem da Paraíba”; “Ilha”; “Paraíba Mulher Macho”; “O Hóspede”, entre outros. “O conjunto da obra de Fernando Teixeira o faz ser um dos atores mais respeitados da Paraíba e do Brasil e o Curta Taquary tem a honra de homenageá-lo nesta edição”, destaca Devyd Santos, um dos organizadores do festival.

Já o Vídeo nas Aldeias (VNA) é um projeto precursor na área de produção audiovisual indígena no Brasil. Apoiar as lutas dos povos indígenas é a sua principal causa. “O VNA foi distribuindo equipamentos de exibição e câmeras de vídeo para algumas comunidades indígenas e criando uma rede de distribuição dos vídeos que iam sendo produzidos junto a esses povos. Assim, o projeto foi se configurando como um centro de produção de vídeos e escola de formação audiovisual para povos indígenas”, comenta Devyd Santos.

O Vídeo nas Aldeias se constituiu como ONG independente em 2000. Ainda segundo Devyd, a trajetória do VNA permitiu criar um importante acervo de imagens sobre os povos indígenas no Brasil, se configurando como um centro de produção de vídeos e escola de formação audiovisual para povos indígenas, com mais de 70 filmes produzidos, a maioria premiado nacional e internacionalmente, motivo pelo qual passou a ser referência na área.

A homenagem ao VNA será às 19h20 da sexta-feira (26), na Praça Pe. Otto Sailler. Já o ator Fernando Teixeira receberá a homenagem às 20h30 do dia 27, no mesmo local. Na 12ª edição, o festival de curtas-metragens se consolida como forte espaço para a difusão da produção audiovisual do Brasil e da América Latina. Este ano, foram 753 inscritos e 90 selecionados. Desses, 38 títulos foram produzidos por realizadoras, o que representa 42% das exibições. Ao todo, películas dos 19 estados, das cinco regiões brasileiras, comporão as sete mostras competitivas e nove paralelas do festival, além dos sete países que integrarão a mostra internacional: Brasil, Chile, Bolívia, Colômbia, Venezuela, México, Canadá e um Libanês – que integra a sessão Médicos Sem Fronteira (MSF), uma parceria da organização internacional com o evento.

alessandra@duplacom.com.br

 

 

 

 
Comments are closed.