Efeitos dos exercícios físicos de alta intensidade em atletas em desenvolvimento *Prof. Dr. Ricardo Zanuto

aA prática de exercícios físicos tem feito cada vez mais parte da vida das pessoas em busca de saúde e qualidade de vida. Com a proximidade de grandes eventos esportivos no país, como Copa do Mundo e Olimpíadas, muitos pais despertam o sonho de ver seus filhos tornando-se grandes atletas. As próprias crianças são estimuladas a isso com o incentivo da mídia.

Diante disso esse artigo tem o objetivo de levar aos pais a importância de que as crianças e os adolescentes, quando começam a praticar algum tipo de exercício precisam, não só do acompanhamento de um treinador físico, como também de um nutricionista esportivo.

Está cientificamente comprovado que a prática de exercícios físicos de alta intensidade e longa duração está associada a distúrbios no chamado eixo hipotálamo-hipófise-gônadas, o sistema hormonal que controla o Sistema Reprodutor, tanto Feminino, quanto Masculino, causando problemas como:

– Retardo Puberal, ou seja, atraso na puberdade, fase marcada nas meninas pelo aumento das mamas.

– Defeitos na fase lútea – A fase lútea é o período entre a ovulação e o início do próximo ciclo menstrual. É nessa fase que o útero se preparar para receber o óvulo fertilizado. O defeito nessa fase pode fazer com que a mulher sofra o aborto espontâneo.

– Anovulação – Ausência de ovulação.

– Amenorreia – Ausência de menstruação, resultado de uma perda de peso em torno de 10 a 15% do peso normal, que pode resultar na diminuição acentuada na porcentagem de gordura corporal considerada ideal (para mulher é de 22%)

O exercício de alta intensidade e longa duração pode, também, desencadear um fator conhecido como “Tríade da Mulher Atleta”. Este termo engloba desordens alimentares e osteoporose na mulher atleta.

Os riscos a curto prazo envolvendo a tríade da mulher atleta estão relacionados a altas taxas de lesões, principalmente relacionadas com fraturas devido a perda de massa óssea e a longo prazo ao próprio desenvolvimento da osteoporose o que aumenta o risco de fraturas.

Já os meninos não apresentam sinais clínicos aparentes. Neles, tanto criança, quando adolescente ou adulto, pode ocorrer a diminuição na espermatogênese, ou seja, na formação dos espermatozoides. Mas esse problema ocorre por um período curto de 48 horas, voltando ao normal na sequência.

A melhor maneira de prevenir todos esses riscos é adotando uma dieta balanceada, acompanhada por um profissional especializado em nutrição esportiva. É preciso haver a ingestão dos chamados micronutrientes como ferro e cálcio, essenciais na prevenção da tríade, já que reduzem as perdas de massa óssea.

Os macronutrientes também precisam estar presentes na dieta:

– Carboidratos – responsáveis por fornecerem energia para o exercício, preservando a proteína e mantendo a queima das gorduras.

– Proteínas responsáveis pela construção e reparação dos tecidos, garantindo o ganho de massa muscular, o transporte de gorduras e vitaminas, além das funções enzimáticas, hormonais e imunológicas.

– Lipídios – fonte de energia, responsáveis por proteger e isolar os órgãos, transportar as vitaminas (A,D,E,K) e precursores dos hormônios como a progesterona, estrogênio e testosteronas.

Prof. Dr. Ricardo Zanuto
Doutor e Mestre em Fisiologia e Biofísica pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP (ICB-USP)
Especialista em Fisiologia do Exercício, Fitoterapia e Atividades Aquáticas.
Nutricionista do Esporte e Clínico. Profissional de Educação Física.
Autor de livros acadêmicos e artigos nacionais e internacionais.
www.zanuto.com

Mais informações:

Adriana Franco
Souza Franco Comunicação
Tel: (11) 4177-5821 / (11) 4365-1173
(11) 99155-9423
adriana@souzafranco.com

Comments are closed.