Gordura Trans: Saiba o que é e quais os riscos de seu consumo

A gordura trans, presente em produtos industrializados, surgiu como substituta à gordura animal, capaz de melhorar o aspecto e conservar os alimentos por mais tempo. No entanto, ela tem impactos diretos no organismo de quem a consome, aumentando os riscos de doenças como infarto e derrame. Mas, afinal, do que é feita essa gordura e por que o seu consumo é prejudicial à saúde?

 De maneira geral, as indústrias de alimentos já estão conscientes dos problemas causados pela gordura trans e, por isso, vem reduzindo as quantidades de gordura trans presentes nos produtos.

 A BRF, detentora das marcas Qualy e Deline, não tem nenhum produto com gordura trans no seu portfólio de margarinas há mais de uma década. “A produção de margarinas livres de gordura trans é possível graças à evolução dos processos tecnológicos das indústrias de alimentos. A combinação de diferentes óleos vegetais, como soja, milho, girassol e algodão e também aquelas extraídas dos frutos das palmeiras, como a palma e o coco, permitem o desenvolvimento de produtos livres de gorduras parcialmente hidrogenadas. Na BRF, abolimos o uso de gorduras parcialmente hidrogenadas há mais 10 anos”, explica Fabio Bagnara, engenheiro químico e diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da BRF.

 A margarina é um produto que já faz parte do dia a dia das pessoas e desempenha o importante papel de fornecer energia à dieta e trazer sabor aos alimentos. Uma margarina livre de gordura trans, aliada a uma dieta equilibrada e a prática de atividades físicas, ajuda na manutenção dos níveis de colesterol e reduz as chances de surgimento de doenças cardíacas.

 Feita à base de óleos vegetais, a gordura trans tem origem a partir de um processo da indústria de alimentos conhecido como hidrogenação parcial.  A hidrogenação parcial consiste na adição de moléculas de hidrogênio na estrutura insaturada dos ácidos graxos, tornando-os saturados e aumentando dessa forma o seu ponto de fusão. Com o ponto de fusão alterado, o óleo passa do estado líquido para o estado sólido ou semisólido em temperatura ambiente, melhorando as suas características técnicas e sensoriais. Com a gordura parcialmente hidrogenada é possível produzir alimentos mais crocantes e cremosos como sorvetes, biscoitos recheados e margarinas.

 O efeito do consumo da gordura trans, além do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) de mínimo 1% das calorias diárias ingeridas, é o aumento nos níveis de colesterol ruim (LDL) e diminuição do colesterol bom (HDL), que têm como principal função remover as placas de gordura dos vasos sanguíneos. A consequência desse quadro é a elevação do risco de infarto ou de um acidente vascular cerebral, por isso a importância de se conhecer os produtos consumidos para ter uma alimentação equilibrada.

Gabriella Bueno gabriella.bueno@maquinacohnwolfe.com

Foto: Google 

 
Comments are closed.