Lente de contato dental: ganho de estética com mínima intervenção

foto google
foto google

As novas facetas de cerâmica ou porcelana são tão finas, hoje em dia, que passaram a ser chamadas de “lentes de contato dentais”. Trata-se de restaurações indiretas que exigem nenhum ou um mínimo desgaste dos dentes e proporcionam, em determinados casos, um ganho bastante alto em termos de estética. “Comparada com as técnicas tradicionais de laminados e coroas, a ‘lente de contato’ preserva muito mais a estrutura quando bem indicada e bem executada”, diz o cirurgião-dentista Oswaldo Scopin, especialista em prótese dental. 

Scopin afirma que a técnica é melhor indicada para pessoas com dentes muito espaçados, mal posicionados ou irregulares, mas que não tenham nenhum problema severo na articulação temporomandibular (ATM), apresentando oclusão estável, ou seja, ‘mordida perfeita’. “Costumo indicar ‘lentes de contato’ para pacientes adultos que já terminaram a fase de crescimento facial e que tenham um sorriso que necessita de acréscimo de material, principalmente quando não há necessidade de preparo ou desgaste dental. Um bom exemplo são os pacientes que têm dentes anteriores desgastados – o que dá um aspecto envelhecido”.

Confeccionadas em cerâmica ou porcelana (o que diferencia uma da outra é a composição do material e a marca comercial), as lentes de contato têm grande capacidade de adesão ao dente, sendo coladas ao esmalte. O especialista diz que, depois de colada, a faceta adquire resistência semelhante ao esmalte dental – em termos de resistência ao desgaste. “A durabilidade de qualquer restauração indireta é de aproximadamente dez anos, podendo durar mais ou menos de acordo com vários fatores, desde a indicação e execução clínica, até os cuidados do paciente durante a manutenção”.

Fumantes e pessoas que ingerem muito café, vinho ou chá devem estar mais atentos ao fato de que todo corante pode alterar a cor natural dos dentes. “Apesar de a ‘lente’ não mudar de cor, tanto o dente quanto o cimento resinoso usado na fixação podem sofrer alteração de cor com o tempo. Daí a fundamental importância de o paciente compreender que a correta manutenção das peças, em conjunto com o cirurgião-dentista, contribuirá para evitar ou minimizar esses inconvenientes”, alerta Scopin. O especialista diz que há sempre uma orientação específica de como prolongar a vida útil da técnica empregada. Em determinados casos, poderá ser feito um clareamento dental antes da colocação da lente – deixando uma margem de 21 dias entre uma técnica e outra.

A lente de contato dental só não é indicada para crianças e adolescentes, ou quando o paciente já tem prótese de porcelana ou cerâmica no dente.  Outro fator a ser levado em conta é o preço. Por se tratar de uma técnica sofisticada, que exige mão de obra especializada – tanto por parte do cirurgião-dentista, quanto do protético – o valor de cada peça poderá variar entre R$ 1.500 e R$ 5.000. “Em geral, os ganhos em termos de aparência e autoestima compensam o investimento”, diz Scopin.

Em parceria com a cirurgiã-dentista Maristela Lobo, o especialista participará do 32º Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo (CIOSP) – que acontece no Expo Center Norte, entre os dias 30 de janeiro e 2 de fevereiro de 2014. Na sexta-feira, 31 de janeiro, das 10h às 13h, ambos conduzirão a palestra “Lentes de contato e laminados cerâmicos: procedimentos integrados para restaurações minimamente invasivas”, no auditório Beleza do Sorriso 3.

Fonte: Prof. Dr. Oswaldo Scopin de Andrade, cirurgião-dentista especialista em Prótese Dental, mestre e doutor em Prótese pela Unicamp e pós-graduado em Prótese e Oclusão pela New York University.

SERVIÇO:

32º CIOSP – Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo

Realização: Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD)

Quando: 30/1 a 2/2/2014

Onde: Expo Center Norte/SP

Endereço: Rua José Bernardino Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo

Confira: www.ciosp.com.br

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo