CotidianoDestaques

Operação Carro-Pipa prossegue até a concretização do período chuvoso

Apesar das previsões otimistas para o período chuvoso na Paraíba. O coordenador da Defesa Civil de Campina Grande, Ruiter Sansão informa que enquanto não se concretiza, a Operação Carro-Pipa executada pelo Exército em parceria com a Defesa Civil permanece.

E que o controle da qualidade da água para consumo humano vem sendo realizado pelos agentes do Sistema de Defesa Civil, desde a coleta nos mananciais, o transporte pelos caminhões pipas e a distribuição até as cisternas.

“O sistema de adutoras para distribuição de água potável aos municípios do semiárido é insuficiente, o que nos remete a necessidade da permanência da Operação Carro-Pipa, apesar da ocorrência de chuvas em muitas regiões”, destacou.

E que é importante destacar que águas das chuvas e que são armazenadas em cisternas, devem ser tratadas e ter controle da qualidade realizada pelos órgãos de saúde de cada município.

PREVISÕES

A previsão das chuvas para os meses de janeiro, fevereiro e março de 2022 foi elaborada durante a Reunião de Previsão Climática para o Nordeste. Evento coordenado pela equipe de meteorologia do Governo Estado e que contou com a participação de meteorologistas de toda a região.

Após os estudos específicos sobre clima e tempo da Paraíba, meteorologistas da Aesa elaboraram o Relatório de Análise e Previsão Climática e concluíram que a tendência é das chuvas ocorrerem de normais a acima da média histórica no semiárido paraibano (regiões do Alto Sertão, Sertão e parte do Cariri/Curimataú), entre os meses de janeiro e março de 2022.

As demais regiões do Estado (Litoral, Brejo e Agreste), ainda permanecem fora do seu período mais chuvoso, o qual se concentra entre os meses de abril e julho.

As chuvas no primeiro trimestre de 2022 na Paraíba devem variar entre a apresentação normal para o período e acima da média histórica em algumas localidades. A previsão é da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

Alguns impactos do La Niña no verão

O La Niña terá impactos negativos sobre a chuva das Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, reduzindo a quantidade de chuva durante a estação. As regiões Norte e Nordeste serão as mais beneficiadas com o La Niña, pois o fenômeno aumenta a chuva nestas Regiões.

Um dos mais importantes sistemas meteorológicos que atuam no verão sobre o Brasil é a ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul. Este sistema é responsável por dias consecutivos de muita chuva, que é a chuva boa para encher reservatórios, tanto para abastecimento de água para as populações como para refazer os reservatórios das hidrelétricas.

Só que por causa do fenômeno La Niña, as grandes áreas de nuvens de chuva associadas com as ZCAS costumam se formar na parte norte da Região Sudeste do Brasil e do Centro-Oeste, atingindo também áreas do Nordeste

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo