Romero defende a criação de Terminal de Cargas no Aeroporto de Campina Grande

O deputado federal Romero Rodrigues apresentou proposta na Câmara dos Deputados defendendo a criação de Terminal de Cargas no Aeroporto de Campina Grande/PB, como forma de permitir as condições mínimas de concorrência nesta área com os demais Estados nordestinos.

Ele disse que se justifica plenamente que seja criado urgentemente o empreendimento nos termos propostos. O pleito está sendo defendido pelo parlamentar, através do Congresso Nacional, junto à Presidência da República e à Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República.

Segundo Romero, um aeroporto não deve ser apenas “campo de pouso e decolagem de aviões, com instalações para embarque e desembarque de passageiros e recebimento e despacho de carga”. Um terminal aeroportuário deve apresentar uma ampla estrutura logística, tornando-se parte essencial de uma Plataforma Logística.

Com a implantação do Terminal de Cargas no Aeroporto João Suassuna o mesmo terá potencial para ser um dos principais do Brasil. Depois de implantado contará com investimentos das iniciativas públicas e privadas, uma localização geográfica privilegiada e um entorno que ainda tem muito para ser explorado.

Outro fator importante e primordial para a implantação de uma Plataforma Logística consiste na preocupação do Governo Estadual em favorecer tal região e em fazer com que o Terminal de Cargas de Campina Grande se configure em uma reconhecida e respeitada porta de entrada não só para novos produtos, mas também para negócios e tecnologias. Nesse sentido, esforços e oportunidades significativas estarão sendo envidados para ampliação de infra-estrutura para instalação de empresas e de terminais de transportes, bem como a integração desses serviços, que será maior e mais produtiva para ficar apenas em volta de um aeroporto.

A visão de futuro expressa em termos qualitativos e prospectivos, os objetivos enquanto intenções de mudança e as orientações estratégicas consubstanciadas em opções sobre sistema de atividades e posicionamento são apontadas para um horizonte de longo prazo, visto estarmos a falar de um horizonte prospectivo e não de um termo de programação.

Para fortalecer o crescimento do setor industrial e comercial, a cidade está tentando se equipar para dar suporte às novas e atuais empresas locais, com a implantação do Terminal de Cargas Alfandegárias (Porto Seco), novos condomínios industriais, aeroporto internacional, parque tecnológico e diversos incentivos. A ascendência econômica da região demonstra que alcançarão a meta de estar presente nos principais pólos econômicos do país.

Devido à globalização e às fronteiras estarem cada vez mais próximas, há necessidade de se facilitar as negociações na busca da redução de custos e aumento do nível de serviço, sejam na movimentação de cargas, na armazenagem de mercadorias, nos sistemas de transportes, enfim, em toda a cadeia logística.

Uma das formas de se obter essas facilidades e de agilizar o processo é agregar os serviços logísticos em um só local e através de uma Plataforma Logística. Entretanto, quando se fala de um município em que não há estrutura portuária devido à sua localização geográfica, a região aeroportuária torna-se uma grande aliada para a agregação desses serviços.

Campina Grande considerada um dos principais pólos industriais da Região Nordeste e o maior pólo tecnológico da América Latina, segundo a revista norte americana Newsweek. De acordo com estimativas de 2010, sua população é de 385.276 mil habitantes, sendo a segunda cidade mais populosa da Paraíba. Campina Grande foi indicada pelo jornal a Gazeta Mercantil, como a cidade mais dinâmica do Nordeste e 6ª cidade mais dinâmica do Brasil.

A cidade tem o segundo maior PIB entre os municípios paraibanos, representando 13,63% do total das riquezas produzidas na Paraíba. Uma evidência do desenvolvimento da cidade nos últimos tempos é o ranking da revista Você S/A, no qual Campina Grande aparece como uma das 10 melhores cidades para se trabalhar e fazer carreira do Brasil, única cidade do interior entre as capitais escolhidas no país.

A Região Metropolitana de Campina Grande, formada por 23 municípios, possui uma população estimada em 687.545 habitantes, sendo a maior zona metropolitana do interior nordestino, quarta maior zona metropolitana do interior brasileiro, 24ª maior do Brasil e 787º maior do mundo. (Ascom)

Comments are closed.