Saiba mais sobre o lugar onde Madiba será enterrado

foto google
foto google

Vivemos em um estilo mais modesto em Qunu, mas foi nessa aldeia perto de Umtata que passei os anos mais felizes de minha infância e é de onde eu tenho minhas lembranças mais precoces.”

O corpo do ex-presidente e símbolo da África do Sul, Nelson Mandela, vai ser enterrado no próximo dia 15, em Qunu, aldeia onde Madiba passou a infância. Veja como o líder do povo africano e da luta contra o apartheid descreve o lugar onde cresceu, na autobiografia “Nelson Mandela – Longa caminhada até a liberdade”:

“Por causa de nossa situação financeira precária, minha mãe se mudou para Qunu, uma aldeia um pouco maior, ao norte de Mvezo, onde ela teria o apoio de amigos e parentes.”

“A aldeia de Qunu se situava em um vale estreito repleto de campinas, cortado por riachos de águas cristalinas e rodeado de colinas verdejantes. Ela consistia em não mais do que algumas centenas de pessoas que viviam em choupanas, que eram estruturas em forma de colmeia, com paredes de barro, com um poste de madeira no centro, sustentando um teto de palha.”

“As terras ao redor de Qunu eram na maior parte desprovidas de árvores, com exceção de um agrupamento de choupos em uma colina com vista para a aldeia.”

“Vivemos em um estilo mais modesto em Qunu, mas foi nessa aldeia perto de Umtata que passei os anos mais felizes de minha infância e é de onde eu tenho minhas lembranças mais precoces.”

Saiba mais sobre a vida de Madiba, segue abaixo a autobiografia dele, publicação da editora Nossa Cultura:

Nelson Mandela: Longa caminhada até a liberdade
“Coloco, portanto, os anos restantes da minha vida em vossas mãos.”

E foi isso que disse e fez o inesquecível líder africano Nelson Mandela. A editora Nossa Cultura tem o prazer de poder proporcionar aos leitores brasileiros a oportunidade de conhecer a incrível história de vida da pessoa tão iluminada que foi este ícone mundial.

Dono de uma trajetória digna de um herói de ficção, Madiba sempre será lembrado como um dos maiores nomes de todos os tempos. Na autobiografia Longa caminhada até a Liberdade, ele conta com detalhes os momentos que viveu desde o nascimento até o marcante dia de posse como presidente da África do Sul:

“Aquele dia havia chegado através dos sacrifícios inimagináveis de milhares de pessoas do meu povo, pessoas cujo sofrimento e coragem não poderão se contados ou reembolsados. Senti naquele dia, como tenho sentido em tantos outros dias, que eu era apenas a soma de todos aqueles patriotas africanos que vieram antes de mim” pag. 760

Símbolo na luta contra o apartheid, Mandela mostra no livro ser dono de uma humildade sem tamanho. Considerado um “deus” para o povo africano, ele fala como se sentia:

“Eu queria primeiramente dizer para as pessoas que eu não era um messias, mas um homem comum que havia se tornado um líder por causa de circunstâncias extraordinárias.”

O leitor vai conhecer os momentos mais importantes da vida de Madiba. Principalmente o que ele passou durante os quase 27 anos em que ficou encarcerado na Ilha de Robben:

“Eu estava preparado para a pena de morte. Para se estar verdadeiramente preparado para algo, tem-se de fato esperar que esse algo aconteça. Não se pode estar preparado para algo enquanto secretamente se acredita que esse algo não vai acontecer. Nós todos estávamos preparados, não porque éramos corajosos, mas porque éramos realistas.” Pag. 459

Em Longa caminhada até a liberdade, o ícone Mandela dá lugar ao ser humano: com suas falhas e aprendizados, amizades e amores. Vê-se o desenvolvimento da consciência política, o papel na formação da Liga da Juventude do CNA e os difíceis anos em que o africano passou escondido:

“Depois de atravessar a fronteira, respirei profundamente. O ar de nosso lar sempre tem um aroma doce depois que passamos algum tempo longe.”

O livro de memórias começou a ser escrito de forma clandestina em 1974, durante o período em que o ex-presidente da África do Sul ficou preso. Nesse período, ele recebeu ajuda de diversos colegas de prisão para desenvolvê-lo. Entretanto, o manuscrito foi descoberto e confiscado pelos guardas. Madiba só conseguiu voltar a escrevê-lo ao ser libertado, em 1990.

Composto por mais de 750 páginas que relatam uma das trajetórias de vida mais extraordinárias que já se viu, a obra também tem fotos que retratam diversos momentos do ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 1993. Além disso, conta com o prefácio do ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso:

“Sua figura humana me marcou profundamente. Mandela é um desses homens raríssimos que têm uma “aura” própria, um magnetismo que não se sabe bem de onde vem, mas que contagia a todos. Quando entrava numa sala, era como se o ar se carregasse de eletricidade.”

Longa caminhada até a liberdade é uma oportunidade única de saber realmente o que pensava e tudo o que viveu o eterno Nelson Mandela.

“Eu sempre soube que no fundo de cada coração humano há compaixão e generosidade. Ninguém nasce odiando outra pessoa por causa da cor da sua pele, ou de sua origem, ou de sua religião. As pessoas têm que aprender a odiar, e se elas podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar, pois o amor ocorre com mais naturalidade no coração humano do que o seu oposto.”

Confira algumas citações do livro:

“Fui então preso sem um mandato, e não me deram oportunidade para telefonar para meu advogado. Eles se recusaram a informar à minha esposa para onde eu seria levado. Eu simplesmente acenei para Winnie; não era o momento para palavras de conforto”. Pag.294

“À meia-noite, eu estava acordado, olhando para o teto da cela – imagens do julgamento ainda estavam vivas e rodando em minha cabeça – quando ouvi passos vindos pelo corredor. Eu estava trancado na minha cela, longe dos outros. Houve uma batida em minha porta e eu pude enxergar o rosto do Coronel Aucamp nas barras. ‘Mandela’, ele falou com um sussurro rouco, ‘você está acordado?’”

“Percorri aquela longa estrada até a liberdade. Tentei não esmorecer; dei passos em falso pelo caminho. Mas descobri o segredo que depois de escalarmos uma grande colina, descobrimos apenas que há muitas outras colinas para escalar.”

“Mas agora os homens brancos haviam sentido a força dos meus socos e eu podia caminhar ereto como um homem, e olhar para todos nos olhos com a dignidade que vem de não ter sucumbido à opressão e ao medo. Eu havia amadurecido como um guerreiro pela liberdade.”

Ficha Técnica:
Editora: Nossa Cultura
Formato: 16×23 cm
Páginas: 776 páginas
ISBN: 978-85-8066-028-9

Preço: R$ 69,00

Adquira o livro no site da editora:
www.nossacultura.com.br

Nossa Cultura na internet:
Facebook: https://www.facebook.com/EditoraNossaCultura?ref=ts&fref=ts
Twitter: https://twitter.com/nossacultura

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo