Sandoz faz da luta contra a Tuberculose um desafio global

O dia de hoje marca mundialmente a luta contra a Tuberculose. A doença, que é curável, tem mostrado resposta positiva frente aos esforços de combate. Atualmente, a proporção de pessoas atingidas é consideravelmente menor do que a epidemia que matou milhares no século passado.

Ainda assim, há muito a ser feito. A tuberculose é a segunda doença que mais mata, ficando apenas atrás da AIDS. Em 2012, foram 8,6 milhões de pessoas contaminadas e 1,3 milhão delas não sobreviveram à doença. Os números são da Organização Mundial da Saúde (OMS), que desde 1993, considera a tuberculose como prioridade global.

Entre 10 e 15% dos casos, a tuberculose acomete outro local do organismo que não o pulmão. É a chamada tuberculose extrapulmonar, que mais comumente atinge órgãos como a pleura e os gânglios linfáticos. Mas podem ainda ocorrer tuberculose na meninge, nos ossos, nos rins, e no intestino¹.

Os principais sintomas gerais apresentados em pacientes com tuberculose são: febre, perda do apetite, emagrecimento, cansaço crônico e desânimo¹. Existem ainda os sintomas específicos, que dependem do local afetado.

No Brasil, a doença apresenta um cenário diferente quando comparada à situação do mundo. São 25 mortes a cada 100 mil habitantes no índice mundial, enquanto no Brasil esse número cai para 2,4 mortes para a mesma proporção².  Como forma de reduzir ainda mais este número, a expectativa do Ministério da Saúde para o Dia Mundial de Combate à Tuberculose é que já esteja funcionando na rede pública um novo método de teste rápido de diagnóstico. 

Compromisso com a acessibilidade

A Sandoz é uma das principais fornecedoras de medicamentos antituberculose para a Organização Mundial da Saúde (OMS) a nível global. A parceria oferece um amplo portfólio de medicamentos que ajudam os governos e ministérios de saúde, principalmente em países carentes, a lidarem com a doença.  O montante da participação nessa contribuição representa 25% de todo o fornecimento deste tipo de remédio que a OMS recebe. Essa quantia chega a realizar o tratamento de 500 mil pessoas por ano.

São várias as iniciativas da Sandoz a fim de contribuir para o tratamento e erradicação da doença. Uma delas é realizada no Egito, onde a Tuberculose constitui o segundo mais importante problema de saúde pública, depois de esquistossomose. De 2014 a 2016, a Sandoz fornecerá ao Ministério da Saúde Egípcio um antituberculose e estima-se que, apenas neste ano, o tratamento atinja 400 mil pacientes egípcios.

Na África do Sul, que tem a segunda maior incidência da doença³, a Sandoz doou três scooters para o Departamento de Saúde do Cabo Oriental com a finalidade de percorrer a província e detectar novos casos de tuberculose e encorajar os pacientes, que já estão fazendo uso da medicação, para concluir o tratamento com duração de seis meses.

O programa é uma iniciativa da Sandoz África do Sul em parceria com o Governo Sul-Africano por cinco anos (2012 – 2016). A meta é aumentar o alcance de distribuição de medicamentos para combater a doença, sempre mantendo a alta qualidade e preços acessíveis. A Sandoz tem como responsabilidade corporativa iniciativas para trabalhar a prevenção, detecção e tratamento, por isso valoriza o envolvimento da comunidade e das parcerias público-privadas.

Sandoz x Tuberculose

·         A Sandoz apresenta 25% dos medicamentos de tuberculose fornecidos para a Organização Mundial de Saúde (OMS);

·         De acordo com a OMS, a Sandoz atinge cerca de 500 mil pessoas por ano que vivem com a Tuberculose;

·         A Sandoz tem como compromisso aumentar significativamente o alcance dos medicamentos para tuberculose até 2016.

Referências:

  1. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Tuberculose. Disponível em: <http://www.sbpt.org.br/?op=paginas&tipo=pagina&secao=233&pagina=1211>. Acessado em: 21/03/2014

2.     Gandra, Alana. Teste rápido de tuberculose começa este mês em seis cidades do país. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-02/teste-rapido-de-tuberculose-comeca-este-mes-em-seis-cidades-do-pais>. Acessado em: 21/03/2014

3.     Catherine F Houlihan, Portia C Mutevedzi, Richard J Lessells, Graham S Cooke, Frank C Tanser and Marie-Louise Newell. The Tuberculosis Challenge in Rural South African HIV Program. 2010. BMC Infectious Diseases. 2010, 10:23 doi:10.1186/1471

Contatos

 

Patrícia RamosS2 Publicom

(11) 3531-4962

E-mail: patricia.ramos@s2publicom.com.br

   Raquel RapuanoS2Publicom

(11) 3531-4963 / (11) 5532-7122 R. 3404

E-mail: raquel.rapuano@s2publicom.com.br

 
Comments are closed.