‘Um Conto de Natal’ é encenado na Biblioteca do TRE-PB

aComo última atividade de 2013, a Biblioteca do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) apresentou, na manhã desta sexta-feira (06), ‘o auto Um Conto de Natal’, a história do nascimento do menino Jesus contada a partir de versões regionalistas de consagrados autores brasileiros.

A ideia, desenvolvida pela servidora da Biblioteca Nara Limeira surgiu a partir de um desafio proposto a ela em uma das últimas atividades realizadas pela seção, a comemoração do Dia das Crianças (veja mais aqui). “Quando eu pensei em contar a história do Natal, eu não queria que fosse uma coisa estrangeira. Eu queria realmente contar uma história brasileira, escrita por um brasileiro, que pudesse dialogar com nossa cultura popular”, explicou.

Para chegar ao resultado final do espetáculo, Nara utilizou trechos das obras ‘A noite em que os Hotéis Estavam Cheios’, de Moacyr Scliar, ‘Morte e Vida Severina – Auto de Natal Pernambucano’, de João Cabral de Melo Neto e ‘Cordel da Paixão de Deus’, de Tarcísio Pereira. A apresentação foi declamada, cantada, falada e musicada, tendo como parceiros os colegas de Tribunal, Gylmara Pereira, também da Biblioteca, e André Soares, do gabinete da Vice-Presidência, tocando violão.

A abertura do evento foi feita pela Secretária Judiciária, Alexandra Cordeiro, que deu as boas-vindas e convidou os servidores e seus familiares que estavam presentes a aproveitar o momento. Em seguida, Nara Limeira e Gylmara Pereira entraram em cena cantando uma música de Lapinha. Entre trechos falados, vinham poemas declamados e canções interpretadas por elas, com direito a chocalho e pandeiro, tudo para contar a história do Natal através da cultura popular brasileira.

Antes do encerramento da apresentação, os convidados foram chamados a participar de uma vivência em que cada um seguraria o Menino Jesus de pano, servindo de manjedoura, para que pudessem sentir o verdadeiro significado do Natal.

Após a conclusão do conto, as atrizes agradeceram a colaboração dos diversos amigos e servidores que ajudaram na criação do evento. “Foi uma confluência de energias”, finalizou Nara Limeira. E receberam o agradecimento de Fátima Grisi, servidora da Coordenadoria de Pessoal (COPES), que falou em nome de todos, parabenizando-as pela iniciativa e “pela apresentação belíssima, onde circulou muito carinho, muito amor, muita paz”, e de Alexandra Cordeiro, que enfatizou o gosto pelo “enfoque dado à cultura popular brasileira, porque a gente está acostumado com as versões de fora”, que ainda lembrou a todos que “a gente não pode esquecer de quem é o aniversário, de quem a gente está celebrando a vida”.

Como de costume, a Biblioteca foi decorada com uma manjedoura com um Menino Jesus de pano, além de um presépio de porcelana, com todos os personagens que estavam presentes no nascimento de Cristo envoltos em flores e folhas naturais. E todos ainda foram agraciados com pipoca, pirulito e um marca-páginas contendo versos do texto ‘Morte e Vida Severina’, do escritor pernambucano João Cabral de Melo Neto.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo