Campina Grande é premiada por atingir indicadores de saúde

A cidade de Campina Grande foi premiada na quarta-feira, 4, na 16ª Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças – EXPOEPI. A premiação aconteceu em Brasília e Campina foi escolhida como a cidade destaque, de grande porte no Nordeste, pelas ações que desenvolve nessas áreas, tendo atingido os indicadores de saúde exigidos pelo Ministério da Saúde.

O município paraibano foi premiado porque alcançou a cobertura das vacinas do Calendário Nacional de Imunização para crianças; atingiu a meta de vistoriar 80% das residências do município, nos levantamentos de infestação do Aedes aegypti; diminuiu a taxa de mortalidade prematura de doenças crônicas não transmissíveis; baixou a taxa de mortalidade de incidência de sífilis congênita em crianças; reduziu o número de pessoas com tuberculose e aumentou a proporção de cura; e passou a informar, mais rapidamente, os registros de óbitos e de nascimentos na cidade ao Ministério da Saúde, através das plataformas de base de dados do MS.

“Estou extremamente orgulhosa de estar à frente dessa equipe, que é sinônimo de compromisso e eficiência. Esse é o resultado de um trabalho muito intenso de vigilância em saúde, de prevenção e promoção à saúde, um trabalho estratégico de toda a equipe para estar sempre um passo à frente dos problemas, para prevenir, como também para atuar solucionando, melhorando e dando condições aos moradores de acesso aos serviços de saúde. E tudo isso é possível graças à sensibilidade do prefeito Romero Rodrigues, que possibilita meios para que essas políticas se efetivem”, disse a secretária Municipal de Saúde, Luzia Pinto.

Conquista dos indicadores – O prêmio levou em consideração o trabalho desenvolvido, ao longo de três anos, entre 2015 e 2017. O resultado aconteceu em função dos muitos trabalhos realizados pela Secretaria de Saúde, como a intensificação das campanhas de vacinação, a exemplo da campanha de multivacinação que acontece neste momento para promover a atualização vacinal de todos os moradores.

A Direção de Vigilância em Saúde também ampliou o trabalho de combate ao Aedes aegypti e a metodologia de rastreio e eliminação dos focos do mosquito hoje é uma das mais completas do Sistema Único de Saúde. A Coordenação de Vigilância Ambiental trabalha com mutirões em parceria com diversos setores para combater os mosquitos, orientar a população, fazer a limpeza de terrenos, coleta de pneus e realizar um trabalho educativo nas escolas.

Com relação à diminuição da taxa de mortalidade prematura de doenças crônicas não transmissíveis, isso aconteceu em função dos vários serviços dedicados ao acompanhamento das pessoas com diabetes, hipertensão arterial, doenças respiratórias. As Unidades Básicas de Saúde ampliaram o número de grupos de pacientes com diabetes, com hipertensão e grupos de fumantes, por exemplo, o que tem ajudado nesse resultado positivo. Também é necessário lembrar que a Secretaria de Saúde melhorou o acesso dessas pessoas aos medicamentos de uso controlado, fazendo a distribuição até em domicílio.

A queda no número de pessoas com tuberculose também é resultado de um trabalho do Centro de Referência em Diagnóstico e Tratamento em Tuberculose e Hanseníase, que aumentou o número de exames de diagnóstico da doença, diminuiu o tempo de resposta dos resultados dos exames, normalizou a dispensa de medicamentos e implantou a busca ativa de pacientes com tuberculose com médico e assistente social nas unidades de saúde e até em domicílio.

E o trabalho técnico de notificação dos números de óbitos e nascimentos foi otimizado ao longo desse período com a ampliação da equipe e constante capacitação, o que melhorou o tempo de resposta dos registros na plataforma. Essa medida ajuda o Ministério da Saúde a planejar as ações e políticas de saúde para a cidade, o estado e o país.

Codecom PMCG

Comments are closed.