Fortalecimentos dos braços é essencial para autonomia depois dos 60

Quando a idade chega, principalmente após os 60 anos, o corpo padece. O processo natural do envelhecimento leva à perda da massa muscular, chamada de sarcopenia. Os músculos ficam mais fracos e isso impacta em todos os movimentos e na flexibilidade do corpo. Outro prejuízo é a perda da força.

Segundo a fisioterapeuta e especialista em Pilates, Walkíria Brunetti, o maior enfoque dos treinamentos é dado para as pernas, já que caminhar é um dos principais aspectos que precisa ser preservado na terceira idade, para assegurar a independência e a realização das atividades da vida diária.
Os treinos e exercícios para as pessoas com mais de 60 anos enfatizam mais o fortalecimento dos membros inferiores, uma vez que as pernas são essenciais para caminhar, um dos principais aspectos para manter a independência.

“Porém, os membros superiores também devem ser inseridos nos programas de fortalecimento muscular. Assim como as pernas, os braços também estão envolvidos em inúmeras atividades da vida cotidiana”, ressalta Walkíria.

“Um bom exemplo é o idoso que usa transporte público e precisa da força nos braços para se segurar ou para se levantar do banco, por exemplo. Pegar objetos em lugares mais altos, segurar objetos em geral, escrever, carregar uma sacola, segurar o neto no colo e passar da posição de deitado para levantar-se. Enfim, são inúmeras atividades que necessitam dos músculos dos membros superiores”, reflete a fisioterapeuta.

Pilates contribui para aumentar força nos braços
Há inúmeros meios de fortalecer os músculos dos membros superiores. Um deles é o Studio Pilates. No Studio Pilates, que é a técnica tradicional do método, os exercícios trabalham bastante os músculos que sustentam a coluna (CORE).

“Entretanto, há vários exercícios que dependem de força nos braços. Assim, o Pilates trabalha de forma global o fortalecimento muscular, aumentando a flexibilidade e o equilíbrio, aspectos fundamentais para a autonomia dos idosos”, reforça Walkíria.

Evidências comprovam eficácia do método
Segundo um estudo, publicado no Journal of Bodywork and Movement Therapies , um programa de Pilates contínuo aumenta a força muscular dos músculos flexores e extensores do cotovelo, além de melhorar a funcionalidade dos membros superiores de forma global em mulheres idosas. Outro ponto positivo do Studio Pilates é que pode ser adaptado de forma individual, respeitando o condicionamento físico do aluno.

“O público idoso pode apresentar algumas doenças crônicas ou condições, como osteoartrose, problemas de coluna, osteoporose, entre outras, que necessitam de uma atividade com acompanhamento de um profissional habilitado, preferencialmente de um fisioterapeuta, dentro de um programa que respeite as limitações físicas”, reforça Walkíria.

É preciso lembrar dos ombros
Segundo a fisioterapeuta, outro ponto importante relacionado aos membros superiores é o fortalecimento dos músculos estabilizadores da escápula, osso anteriormente chamado de omoplata. Para Walkíria, trabalhar apenas as flexões e extensões dos músculos dos braços não é suficiente para prevenir dores e condições que podem afetar os ombros.

“Os músculos que estabilizam os movimentos da escápula precisam estar fortalecidos e saudáveis para o bom funcionamento dos ombros. Quando há um encurtamento ou uma perda de força importante neste grupo muscular, podem surgir as tendinites, bursites e dores nos ombros, que são bastante prevalentes nos idosos”, explica a especialista.

“Como o Studio Pilates também atua nesse grupo muscular, podemos dizer que é uma excelente atividade para quem já passou dos 60 anos ou ainda para quem quer chegar lá com músculos fortes e saudáveis”, encerra Walkíria.

Para mais informações, contatar:
Aline Soares
Assessoria de Imprensa
(11) 11 99739-1155
aline@agenciahealth.com.br

 
Comments are closed.