Justiça Federal na Paraíba ganha agilidade com uso de automação

A Justiça Federal na Paraíba criou um robô capaz de migrar, em espaço curto de tempo, os dados dos processos físicos que ainda estão no sistema Tebas para o sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe), atualmente usado para a tramitação das ações no órgão. O software também é capaz de inserir a movimentação do Tebas nos processos sobrestados (aqueles arquivados ou suspensos).

O robô da JFPB tem a finalidade de otimizar e agilizar as tarefas repetitivas. “Investimentos em automação e em soluções de Inteligência Artificial (IA) são alguns dos caminhos definidos pela Seção Judiciária da Paraíba para responder ao crescimento exponencial das demandas da sociedade por celeridade e justiça”, destacou o diretor do Foro, juiz federal Bruno Teixeira de Paiva.

Ainda de acordo com o magistrado, há uma necessidade de aprender a trabalhar com esse tipo de tecnologia, que surgiu para descomplicar o dia a dia de todos e, no caso específico da JFPB, o robô foi criado para dar ainda mais agilidade na reta final da digitalização dos processos físicos (em papel) do órgão.

 “Atualmente, a Seção Judiciária paraibana digitalizou o percentual de 94% de processos físicos. A criação dessa ferramenta de automação retrata parte das iniciativas que estão sendo desenvolvidas pelo Escritório de Inovação. O trabalho que hoje é realizado por um servidor no tempo de três minutos, agora será concretizado, de forma automática e ininterrupta, em menos de 30 segundos com o uso do software”, ressaltou.

Segundo o diretor do Núcleo Judiciário, Ricardo Correia, “a utilização do robô possibilitará, de forma quase imediata, a migração do acervo faltante de aproximadamente 10 mil Execuções Fiscais em meio físico sobrestadas (arquivadas e suspensas), permitindo que até o dia 19 de dezembro a Seccional esteja 100% digital”.

Assessoria de Comunicação 

Foto: Google

Comments are closed.